Mari
LINGUAGEM: é todo sistema de sinais convencionais que nos permite realizar atos de comunicação.
Pode ser verbal e não-verbal.
  • verbal: aquela cujos sinais são as palavras
  • não-verbal: aquela que utiliza outros sinais que não as palavras. Os sinais empregados pelos surdos-mudos , o conjunto dos sinais de trânsito, mímica etc. constituem tipos de linguagem não-verbal.
LÍNGUA: é um tipo de linguagem; é a única modalidade de linguagem baseado em palavras. O alemão e o português são línguas diferentes. Língua é a linguagem verbal utilizada por um grupo de indivíduos que constitui uma comunidade.

FALA: é a realização concreta da língua, feita por um indivíduo da comunidade num determinado momento. É um ato individual que cada membro pode efetuar com o uso da linguagem.



Fonte:http://recantodasletras.uol.com.br/trabalhosescolares/641786





  • Fonética
É a parte da lingüística que estuda os sons da fala (fones).

Fonema=> Fonema é a menor unidade sonora e distintiva de uma língua. Os fonemas dividem-se em vogais, semivogais e consoantes. Convém reforçar que o fonema é uma realidade acústica.
/ A
/ E
Vogais O
\ I
\ U
Legenda: A, E e O = Vogais Principais
I e U = Semivogais

Digrafos: Uma mesma letra pode representar fonemas diferentes. É o que ocorre com a letra “x” em palavras como sexo (x = ks), feixe (x = ch), exato (x = z) e próximo (x = ss). Um mesmo fonema pode ser representado por letras diferentes. É o que ocorre em flecha (ch = x) e lixo (x = ch).

Difonos: São letras, que juntas formam apenas um fonema. Como por exemplo, a palavra queijo (qu = q), trabalho ( H não é fonema, então conta apenas como um), conseguir (gu = g) e etc.



Obs.:
Os fonemas são representados entre barras.Exemplos: /m/, /o/.

  • Encontros vocálicos

Ditongos

Às vezes as vogais se juntam na mesma sílaba. Nesse caso, pode ocorrer o que chamamos de um ditongo:

sé-rie
Pás-coa
lei
bei-jo
meu


Os ditongos podem ser crescentes ou decrescentes.

O ditongo é crescente quando a segunda vogal do ditongo é a mais forte. Exemplos:

qua-se
goe-la
a-quá-rio
sa-gui
fre-quen-te


O ditongo é decrescente quando a primeira vogal do ditongo é a mais forte. Exemplos:

he-rói
boi
cai
céu
fui


Orais e nasais

Os ditongos podem ser orais ou nasais, de acordo com o modo de pronunciá-los.

O ditongo é oral quando suas vogais são orais, os seus sons são produzidos exclusivamente pela boca. Exemplos:

má-goa
cí-lios
gló-ria
rai-va
meu

O ditongo é nasal quando suas vogais são nasais, ou seja, os sons passam também pelo nariz ou sofrem uma nasalização. Exemplos:

mãe
cãi-bra
põe
pão
chão

Tritongos

Existem casos em que três vogais fazem parte da mesma sílaba.

Pa-ra-guai
quais
es-piões
en-xa-guei
a-ve-ri-guou

Os tritongos também podem ser orais ou nasais. O tritongo é oral quando suas vogais são orais. Exemplos:

U-ru-guai
quais
fieis
en-xa-guou
a-ve-ri-guei


O tritongo é nasal quando suas vogais são nasais. Exemplos:

sa-guão
sa-guões
en-xá-guem
es-piões
ba-rões

Hiatos

Quando as vogais se encontram em sílabas diferentes, embora estejam em sequência, temos um hiato.

Veja a diferença entre sai e saí. Em sai temos um ditongo, com as duas vogais na mesma sílaba, enquanto em saí temos um hiato, pois as duas vogais estão em sílabas diferentes (sa-í).

Outros exemplos:

hi-a-to
en-jo-o
ál-co-ol
ba-ú
jo-e-lho

0 Responses

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget